encotre fácil
newsletter

Digite seu e-mail:

parceiros
Click Jardim
Rural Links

Conheça todos os nossos parceiros
Orkut Facebook Twitter
Artigos
Jardim vertical

Jordi Castan | Publicado em: 12/11/2009 | Voltar para artigos

A última novidade agora são os jardins verticais. De uma hora para outra todos agora são especialistas em jardins verticais, mesmo quem nunca viu um na sua frente, tem coragem de projetar e executar jardins verticais. Uma febre que seria bom que viesse para ficar.

Já na década de 70, Roberto Burle Marx utilizava a solução do jardim vertical, são conhecidos os seus projetos para Xérox do Brasil, ou a utilização do jardim vertical no Parque Central, em Caracas – Venezuela. Desde aquela época até hoje, muita coisa tem mudado, não sempre para melhor.

Os jardins verticais praticamente desapareceram, para voltar com força total no inicio de 2000. A falta de paisagistas que conheçam adequadamente a fisiologia das plantas inibiu os bons projetos. As novas técnicas e tecnologias permitem que agora os jardins verticais se apresentem como uma alternativa a falta de espaços, a necessidade de mais verde e a ânsia por soluções mais criativas.

O que devemos considerar na hora de optar por um jardim vertical?

1. A escolha do local. Identificar se o local reúne as condições ideais para a implantação do projeto.

2. A iluminação. Preferencialmente escolher locais que tenham uma boa iluminação natural, se for zenital, perfeito, caso contrário a iluminação de grandes janelas e aberturas será perfeito. Se o jardim for externo, prestar muita atenção ao excesso de insolação, as plantas que prosperam bem nos jardins verticais, normalmente não toleram muito sol direto.

3. Irrigação. Prever um sistema de irrigação adequado, que permita manter a umidade das plantas do jardim. Em geral nos jardins verticais teremos muita drenagem, e perda de água. O que pode levar a algumas plantas epífitas facilmente a stress hídrico.

4. Escolher as plantas. Nem todas as plantas são adequadas para jardins verticais. Prefira as epífitas, philodendros, peperômias, bromélias, samambaias, orquídeas e Aeschynanthus, são algumas boas alternativas.

5. Escolha um bom substrato. Os substratos a base de fibra de coco, são os melhores, mas pode contar com outras alternativas na sua região. Prefira substratos de boa qualidade, não é fácil acrescentar ou repor o substrato de um jardim vertical. Em alguns casos pode exigir refazer todo o jardim.

6. Pense na manutenção. Um jardim vertical exige um elevado nível de atenção, que não quer dizer que exija muita manutenção, se o projeto está bem concebido a manutenção será mínima.

7. Contrate um bom profissional com experiência. O seu risco de errar será muito menor.

 

 

Entre em contato com:
Jordi Castan
jordi@aboavista.com.br
Telefone: (47) 3432 5950

Leia Também:
20/04/2010 - Hortas e canteiros - Chinampas
09/02/2010 - Sítio da Mata Bambus
09/02/2010 - Bambu
22/01/2010 - 4ª Semana de Jardinagem e Paisagismo - Senac Santa Cecí­lia
13/11/2009 - Os lagos ornamentais nos projetos de paisagismo
04/01/2010 - Lago ornamental ou espelho d'gua?
20/04/2010 - Composto Vegan
09/02/2010 - Espécies de bambu
12/11/2009 - Jardim vertical
06/01/2010 - Brasil: o paí­s da biodiversidade

Colunistas

- - - - - - - - - - - - - - - -


Links patrocinados: